por Lucas Bergamini

O filme O Lobo Atrás da Porta (2013) dirigido por Fernando Coimbra mostra um pouco do rumo que o cinema brasileiro tem tomado. Ele vem da época em que mais se produziu longas-metragens brasileiros desde a retomada, o ano de 2013. Trabalha com um gênero que é mais visto no cinema americano, o suspense, e se destaca por um roteiro que prende a atenção do espectador do começo ao fim.

O suspense já aparece rapidamente logo no começo do filme. Uma mãe vai buscar a filha na creche e descobre que ela foi levada por outra mulher estranha. Começa então uma série de relatos e depoimentos dos principais suspeitos e envolvidos, para saber onde a criança está e quem a levou. Bernardo (Milhem Cortaz), o pai da menina, é casado com Sylvia (Fabiula Nascimento) mas teve um envolvimento com Rosa (Leandra Leal), uma garota bonita e inocente que ele conheceu na estação de trem. Rosa também é suspeita. Os depoimentos se contradizem, já que cada um deles traz um ponto de vista. O filme tem grandes atuações, com destaque para Leandra Leal que cria uma personagem estranha e ao mesmo tempo verossímil.

Rosa é mostrada muito de costas, com enquadramentos que destacam a nunca, seu cabelo curto e seus brincos. Ela tem uma doçura tão grande que no começo do filme o espectador não acredita que uma garota como ela poderia ser suspeita de qualquer crime. Ela se comporta como uma vítima. Mas aos poucos, conforme as diferentes versões da história vão sendo contadas e o filme avança, a parte mais negra e doentia da sua personalidade vai aparecendo. E aquela garota doce é mostrada como uma pessoa obsessiva e perigosa. Bernardo inicialmente engana Rosa, escondendo que é casado e esperando uma fuga do cotidiano. Mas acaba preso nas mãos de um amor doentio e possessivo.

O fato foi inspirado em um caso real que teve destaque nos jornais da época. Ele ficou conhecido como “A Fera da Penha” e a autora do crime foi Neide Maria Maia Lopes. O filme foi muito bem dirigido e causa um impacto tão grande que ainda permanece na cabeça do espectador muito tempo depois de terminar, com um final digno de uma fábula de horror.Talvez porque além de conseguir prender a atenção ele também revele muito sobre a essência do ser humano.

 

Anúncios